quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

RESUMO DA LAJA-JATO (28/01/16)

As operações de busca e apreensão desta fase da Lava Jato, que miram o empreendimento que a OAS assumiu da Bancoop, tratam do caso das investigações que rodeiam Lula que está mais próximo de virar uma acusação formal que o levaria à prisão. Lula seria proprietário oculto de uma cobertura no edifício, mas não no papel. Lula diz que o apartamento não é e nunca foi seu, nem de sua esposa, mas contra esta versão há mais de 30 testemunhas que afirmam ter visto a família Lula visitando o apartamento e supervisionando as reformas dali, que incluíram a construção de um elevador privativo. Chama também atenção das autoridades investigativas o fato da OAS ter levado adiante a reforma milionária.



Ontem,  a Polícia Federal mirou o apartamento vizinho ao de Lula, a outra cobertura. Para entender o caso, vamos apresentar abaixo todos os personagens e siglas, além dos elementos na investigação:


EDIFÍCIO SOLARIS – Alvo das buscas da PF e localizado no Guarujá, o condomínio era construído pela Bancoop e hoje encontra-se superhabitado por petistas. As obras do condomínio estavam atrasadas e sob risco de não serem entregues quando a OAS assumiu o empreendimento para levá-lo adiante. João Vaccari Neto tem um apartamento por ali, além de Lula e Marisa, que tiveram uma reforma no imóvel totalmente bancada pela Bancoop, com direito a construção de elevador privativo.

BANCOOP – Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo, os casos de desvios por ali começaram a virar notícia em 2010, quando soube-se que dinheiro da cooperativa fora desviado para campanhas petistas desde 2002. Desde 2010 João Vaccari Neto está denunciado pelo envolvimento no caso mas apenas recentemente os desdobramentos da investigação se aprofundaram. 8.500 famílias sofreram prejuízos por conta da roubalheira petista.

OAS – Construtora envolvida no Petrolão, era presidida por Léo Pinheiro que ficou  preso pela Lava Jato por seis meses em Curitiba. Ele e outros 5 diretores da construtora já foram condenadas por Sérgio Moro.
NELCI WARKEN – Presa hoje nesta 22a fase da Lava Jato, prestou serviços de marketing à Bancoop e tem um apartamento no Edifício Solaris. Ela é proprietária da Offshore  Murray Holdings LLC e é no nome desta empresa que está a cobertura vizinha à de Lula. No mesmo endereço em que está registrada a Murray Holdings, há também a empresa Global Participações Empresariais, que está em nome de Wesley Batista, presidente da JBS.

LÉO PINHEIRO – Chama-se José Aldemário Pinheiro Filho o ex-presidente da OAS que já foi condenado por Sérgio Moro a cumprir 16 anos e 4 meses de prisão. Seguidas vezes enviou recados à imprensa de que poderia acertar um acordo de delação premiada. Era tão íntimo de Lula que o chamava de “Brahma”. Acompanhou Marisa Letícia, esposa de Lula, em uma das visitas de supervisão das reformas no apartamento da família Lula que a família Lula nega ser proprietária.

JOÃO VACCARI NETO – Mais um tesoureiro do PT que foi preso, Vaccari participou dos desvios na Bancoop desde 2002.

FREUD GODOY, O SEGURANÇA DE LULA – Sua esposa tem um apartamento no Edifício Solaris. Freud Godoy esteve envolvido no esquema de elaboração e compra de um dossiê contra José Serra nas eleições de 2006.

MARICE CORRÊA DE LIMA – Cunhada de Vaccari Neto, foi uma das poucas agraciadas com imóveis da Bancoop. Ela teve direito a três apartamentos. O último, de 96 metros quadrados e localizado na Zona Norte de São Paulo, custou-lhe apenas R$ 61 mil reais. Recebeu R$ 244 mil da OAS e teve qu explicar isto à PF de Curitiba.

ANA MARIA ÉRNICA –  Diretora financeira da Bancoop, petista, é ré por estelionato no processo na 5ª Vara Criminal que envolve a cooperativa desde 2010. Tem um apartamento no Edifício Solaris.

HEITOR GUSHIKEN – Primo do ex-ministro Luiz Gushiken, também tem um apartamento no Edifício Solaris. – Texto gentilmente roubado lá no Blog do Rafael Brasil -

Nenhum comentário:

Postar um comentário